Papoilas Saltitantes
27
Set

2013

Regresso do Circo

Por Tiago Quartilho

 

Esta semana marcou o verdadeiro início da temporada. Não em termos de futebol jogado, mas sim daquilo que mais tinta faz correr e tempo de antena tem na nossa comunicação social. Estou naturalmente a falar do regresso do circo ao futebol, esse triste espectáculo que treinadores e dirigentes insistem em prestar ano após ano.

Mas mesmo para nós que estamos habituados, esta semana foi demasiado recheada destes pequenos (ou grandes) episódios:

 - A entrevista mítica do "Vale e Azevedo de Alvalade". Bruno de Carvalho até pode estar a fazer uma excelente de recuperação do clube, acabando com alguns males históricos da instituição, mas do discurso demagogo, populista e na globalidade completamente desligado da realidade já ninguém o livra. Espero que me engane redondamente, mas que faz mesmo lembrar faz...

 - O Sporting foi prejudicado no jogo contra o Rio Ave, com o imortal Xistra no centro das atenções. Não vou discutir os lances anteriores de golos irregulares, nem o facto de que podia ou não ser merecido o resultado, porque é irrelevante. Aquele penalty não assinalado, à distância que Xistra estava e com o ângulo que tinha sobre o lance comprovado pelas câmaras, é completamente impossível acreditar no “não vi”...

 - O Benfica voltou a não jogar nada, e também viu um penalty absurdamente óbvio a seu favor não ser assinalado. Mas por outro lado, Siqueira podia ter sido expulso e Addy foi mandado para o balneário num lance no qual me parece que nem falta existe.

 - O Porto queixou-de da arbitragem devido ao lance do penalty, e com razão. O facto do Otamendi já nem dever estar em campo é indiferente, ou pelo menos parece pelo facto de ninguém o ter mencionado na flash ou conferência de imprensa. A linha de fora de jogo da SportTV foi novamente motivo de galhofa, mas desta vez não estava torta, simplesmente não tinha em conta todos os jogadores em campo. Mas para o final do jogo estava guardado a verdadeira pérola, que foi a conferência de Paulo Fonseca.

 - Entretanto, soube-se a posteriori, um dirigente do Porto que não Reinaldo Teles (alegadamente) agrediu o presidente da AFL, que até esse momento talvez 17 pessoas soubessem quem era. A partir desse momento, até o Facebook do “miúdo” foi vasculhado, e claro, encontraram declarações de carácter racista, e pouco dignas de um dirigente desportivo (mesmo que na altura não o fosse). O actual presidente da AFP que ao longo dos anos esteve directamente envolvido em alguns dos maiores cambalachos do futebol português (incluindo o Penafielgate) naturalmente considera que o seu colega de Lisboa é que foi culpado, até porque se trata de um “jovem benfiquista que deve ter mais contenção nas bancadas”.

 

E todos estes momentos podiam ter tido algum destaque se não fosse o "Mestre da Táctica" ter decidido chamar a si o protagonismo da semana, naquele que foi um dos momentos mais tristes da história do Benfica, e que me envergonharam enquanto Benfiquista. Faltam-me os adjectivos para aquilo que o "Mestre" fez em Guimarães, e como tal, achei que era o momento ideal para estrear neste espaço os escritores convidados.

A partir de hoje teremos com alguma regularidade outros benfiquistas a escrever no Papoilas. Começamos com um amigo meu, que pediu anonimato e que será aqui apresentado por “Ponto G, 23”. Quanto ao nome, a explicação é a dele: “Porque acerta sempre na mouche e ninguém sabe se existe mesmo... O 23 é segredo.”.