O Fantasista
26
Jun

2015

U21 Semi-Finals

Por O Fantasista

 

Dinamarca, Portugal, Alemanha e Suécia.

São estes os países sobreviventes da fase de grupos mais emocionante dos últimos tempos – não esquecer que na terceira e última jornada todas poderiam ter garantido a qualificação.

O primeiro jogo, onde poderemos aceder aos 11’s titulares com 1 hora de antecedência, coloca frente-a-frente Portugal e Alemanha. A titulo de curiosidade fica aqui aquela stat do costume: nos últimos 3 jogos nesta categoria dos sub-21, Portugal venceu sempre.

Mais tarde teremos o duelo nórdico. Um escaldante Dinamarca-Suécia! Matchup que já nos proporcionou um preview no inicio deste mês, 2-2 como resultado final. 

 

A liderança da liga 11para11 é partilhada por Paulo Pereira e o vosso Fantasista, ambos com 143 pontos - correspondente à 244ª posição da geral. O pódio fecha-se com o André Águas e os seus 132 pts (651º classificado).

A nível nacional ocupamos a 67ª posição, a 23pts da liderança. Nada está perdido mas vamos ter que arriscar para defender a conquista de 2013. É que este ano cerca de 2000 participantes são portugueses. Só 25% do field!

O Wild Card vem aí e criatividade é a palavra de ordem. Tudo para recuperar...

 

Sá (5.5m)

Este keeper de barba ruiva está simplesmente on fire. As suas exibições já proporcionaram 19pts (2 cleanies e 16 saves), destacando-se de forma clara dos seus companheiros.

Peça-chave nos comandados de Rui Jorge, e mais que provável herói de uma possível presença na final. 

 

Schulz (5.5m)

Um lateral ofensivo e com uma capacidade de progressão em posse acima da média. Titular nos últimos 2 jogos, o último na ala esquerda do meio-campo alemão, corroborou a aposta do mister com 1cs e 1g, oferecendo-nos sempre retornos pontuais (15 pts).

Aquele Christian Ziege dos tempos modernos.

 

Højbjerg (8.5m)

O craque da Dinamarca dispõe de todos os atributos futebolisticos para se tornar uma grande estrela do futebol europeu: inteligência, técnica e capacidade de trabalho.

Foi poupado no segundo jogo e deu no que deu (derrota por 3-0 com a Alemanha). A assistência para o 2º golo frente à Sérvia foi um cheirinho do que pode fazer nesta fase decisiva.

 

Thelin (8.0m)

Os problemas físicos de Guidetti colocam-no como o ponta de lança mais perigoso da surpreendente selecção sueca.

Ainda só marcou 1 golo, mas poderia ter feito muito mais frente a Inglaterra e Portugal.  Um dos poucos diferenciais (17%) na categoria dos forwards.