O Fantasista
29
Jul

2013

Tutorial 03 - Defenders

Por O Fantasista

 

O objectivo desta semana passa por identificar um defesa, por equipa, que cumpra os dois requisitos mais importantes deste jogo: titularidade e baixo custo. Ou seja, o tal elemento que faz sempre parte dos planos da sua equipa e que ao mesmo tempo seja mais barato que os seus pares. Eventualmente surgirão alguns exemplos em que o escolhido envergará uma etiqueta superior ao seu colega, nunca mais do que £0.5m, baseando-se essa opção exclusivamente nos possíveis retornos ofensivos gerados pelo mesmo.

Continuando com a homenagem ao maior, apresentamos os Mintos, Fyssas e Léos desta nova época de Fantasy da Premier.

 

Os Mintos (£4.0m - £4.5m)

Um ídolo de infância e o antecessor do dono da minha 1ª camisola do Chelsea FC, a #3 do nigeriano Celestine Babayaro. Scott partia para Portugal, e não era para jogar golfe no Algarve. Uma época e meia, 31 jogos, 6 deles na UCL 98/99. O rei do cruzamento que marcou a minha 1ª época de bola ao vivo nas bandas Lisboetas.

Nada como começar esta analise pelo trio de teams que subiu de divisão. O Cardiff propõe-nos duas excelentes hipóteses: Connolly (£4.5m), 5g, e Hudson (£4.5m), 4g, ambos com 18cs em 42 jogos no Championship 12/13. Providenciais para a conquista do titulo na 2ª divisão Britânica.

Em seguida temos o team de Ian Holloway, o Crystal Palace: Delaney (£4.5m), 3g e 2a, e o defesa esquerdo Parr (£4.0m), 4a, são os que saltam à vista. No entanto e a julgar pela prestação do seu Blackpool em 2011/12 a defesa nunca será o ponto forte desta equipa. Já estamos fartos de saber qual a máxima deste coach: marcar mais um do que o adversário. Talvez aqui seja mais ajuizado investir no sector ofensivo (análise para outras manhãs cinzentas).

A fechar este trio surge o Hull City treinado por Steve Bruce. Chester (£4.0m) com 44 partidas a titular é a rotação perfeita para Parr. Uma dupla volátil mas garantida por apenas £8.0m, pois Palace e Hull possuem uma rotatividade low-cost disponivel ao longo de toda a época. Bruce gosta do 3-5-2, e tal como Jonathan Parr do Palace, James Chester parece ser o titular mais barato dos disponíveis. O ex-Bolton Davies e o ex-Wigan Figueroa figuram a £4.5m.

Passemos aos clubes que se mantiveram na luta pela manutenção até à penúltima jornada da época transacta. O Aston Villa reforçou-se com o lateral esquerdo Luna (£4.5m) do Sevilha, já titular em 3 jogos de pré-época. Paolo Di Canio e o Sunderland apostaram nos centrais, o nosso conhecido Roberge (£4.5m) e Diakité (£4.5m). Ainda no norte, o Newcastle optou por manter a maioria dos defensores e este ano Taylor (£4.5m) e Mbiwa (£4.5m) são os que possibilitam uma boa rotação com o par anterior. Em Londres, o Fulham contratou Amorebieta (£4.5m) ao Athletic de Bilbau e este deverá ser o novo partner do gigante norueguês no centro da defensiva da equipa de Martin Jol. 
O novo team do Ricky Van contratou Olsson (£4.5m) mas existem dúvidas sobre se será capaz de roubar o lugar de defesa esquerdo a Garrido (£4.5m). Este último, com 2a e 10cs em 34jgs, e Turner (£4.5m), com 3g e 7cs em 26jgs, continuam a ser os titulares mais baratos sob o comando de Chris Hughton.
Pochettino também não ficou quieto, garantindo os serviços do defesa central croata Lovren e do médio Wanyama – acrescentando claramente maior potencial defensivo à sua equipa. Assim sendo o nosso radar aponta para os 2 laterais do Southampton, Clyne (£4.5m) e Shaw (£4.5m), autênticos velocistas da costa Sul. Assistências e clean sheets parecem estar ao alcance de ambos, sendo que o West Ham é o par perfeito para esta dupla (rotação de £9.0m). É verdade que Big Sam resgatou o promissor lateral Rat, mas é Collins (£4.5m) o menos dispendioso no sector recuado. Por exemplo um par composto entre Clyne e Collins resulta numa sequência fortissima de jogos caseiros frente a CAR, SUN, STO, WHM, EVE e CPL nas primeiras 6 jornadas.

Para finalizar esta categoria temos 2 opções que envolvem algum risco. O Everton foi buscar Martinez que por sua vez contratou Alcaraz (£4.5m). Ora se Martinez optar por jogar em 3-4-3, como fazia no Wigan, o paraguaio parece uma excelente escolha – é o único abaixo da fasquia dos £5.0m. No mesmo patamar temos Taylor (£4.5m) do Swansea. Após uma época de estreia, 2011/12, em que obteve 14cs e 1a, o azar bateu-lhe à porta em Setembro passado e ficou 8 meses fora dos relvados. Agora, com os compromissos na Liga Europa à mistura, terá que lutar pelo lugar com o seu colega Ben Davies.

 

Os Fyssas (£5.0m - £5.5m)

A escolha não é tão vasta, mas não nos podemos queixar da qualidade do grupo seguinte. Afinal o grego canhoto, campeão Europeu, até meteu uma no ângulo do Vitor garantindo uma das poucas finais perdidas por José Mourinho (2-1 @Jamor após prorrogação).

Liverpool e Stoke reforçaram-se na defesa com Touré (£5.0m) e Pieters (£5.0m), respectivamente. No Tottenham o retorno de Rose continua a ser ignorado pelos meninos que gerem a Fantasy da EPL, permanecendo classificado como médio (?!), mesmo depois de uma época inteira a jogar como defesa no Sunderland. Sendo assim as alternativas são Dawson (£5.0m), Kaboul (£5.0m) e Caulker (£5.0m). Trio que discutirá entre si quem joga ao lado de Vertonghen. No West Brom McAuley (£5.5m) apesar de ser mais caro que os restantes companheiros de defesa (mais £0.5m) continua a ser o que mais perigo cria na área adversária - 5g e 4a, 17cs, 6120min ou 68jgs, tudo nas 2 últimas épocas.

A finalizar temos os clubes mais susceptíveis à rotação interna devido à participação na UCL. No Arsenal a escolha é vasta e homogénea com Mertesacker (£5.5m), Koscielny (£5.5m), Sagna (£5.5m), detentores do 2º melhor registo defensivo do ano passado com apenas 37 golos sofridos.

Em Manchester, City e United, proporcionam-nos duas lutas por uma só posição, a do defesa central que acompanha o patrão. Nastasić (£5.5m) e Lescott (£5.5m) nos azuis, e Ferdinand (£5.5m) e Evans (£5.5m) nos vermelhos. De realçar a capacidade ofensiva de Lescott, com 21g e 9a em 7 épocas na EPL, e Evans com 4g e 5a nas 2 últimas épocas.

 

Os Léos (£6.0m ou mais)

Foram 3 anos e meio ao serviço do SLB e desde então nunca mais a posição de lateral esquerdo foi a mesma. Só Coentrão, adaptado, conseguiu garantir a posição, por 2 anos gloriosos (1 campeonato e 2 taças da liga). Depois seguiram-se Capdevilla, Emerson, Luisinho e Melgarejo. Agora é Cortez que faz as delicias da pré-época, mas Léo só há um – o do Santos FC.

O Chelsea de José Mourinho é sem surpresas o único team que não apresenta opções abaixo da marca do £6.0m. Em 3 épocas completas em Stamford Bridge, Zé não perdeu nos jogos caseiros da Premier:

1ª época, 19 jogos, 14 vitorias e 5 empates, 6 golos sofridos;
2ª época, 19 jogos, 18 vitorias e 1 empate, 9 golos sofridos;
3ª época, 19 jogos, 12 vitorias e 7 empates, 11 golos sofridos;

Denominador comum? O capitão Terry (£6.0m) com 8g e 5a no mesmo período. É certo que já não tem 25 anos, e que nas últimas 3 épocas tem sofrido com problemas nas costas e lesões nos joelhos, mas se há alguém que conseguirá levar de novo o Chelsea à glória interna esse alguém é Terry, John Terry.