O Fantasista
10
Jun

2014

I am loving it...

Por O Fantasista

 

É a Copa do Mundo. E joga-se em casa. Brasil... sil... sil... sil!!!

Grama alta. Humidade acima dos 80%. Temperaturas de 25ºC às 8 da noite nalguns locais.  Condições perfeitas para ver prosperar as seleções do continente sul-americano. Ou não...

Após várias semanas de observação, aqui o vosso Cara está apto. O jogo escolhido é o oficial da competição. McDonald’s FIFA World Cup Fantasy.

O registo é fácil. Escolher o plantel e os respectivos jogadores já não. Simplesmente porque o Sr. McDonald só o permitiu a partir de dia 8 de Junho. Como tal, hoje vamos só analisar as diferenças para o modelo que andámos a jogar o ano inteiro. I am loving it!

 

Oi?! Temos sempre o Drive In. Ok, engolimos um McFlurry e mergulhamos nas regras.

Apesar de sentir um pequeno receio inicial, cada vez mais me convenço que estamos perante um jogo totalmente inovador no que respeita a um aproveitamento fantasista mais detalhado e homogeneo. Por outras palavras, talvez haja agora (finalmente) valor nos médios defensivos.

Em relação ao nosso jogo preferencial, a Fantasy da EPL, as alterações surgem em catadupa. Naturalmente pois a competição é diferente, mais curta e muito compacta, com jogos quase todos os dias.

 

 1) Equipa

A "parada” engloba ter que gerir um plantel de 23 jogadores (máximo de 3 por selecção). Os mínimos por posição são os seguintes:

   - 2 guarda-redes (GK)
   - 6 defesas (DEF)
   - 6 médios (MID) 
   - 4 avançados (FOR)


Atenção! Não são permitidas transferências na fase de grupos (Still Loving It). É, mete estratégia pá c*****, pô!

 

 2) Sistema pontual

Há uma pequena alteração no valor pontual atribuído aos minutos jogados, os titulares são os mais beneficiados, com 3pts para quem pisa o gramado mais de 60 minutos.

O golo é totalmente homogéneo, 5pts para todas as posições. Aqui os avançados ficaram claramente a ganhar.

O valor da assistência mantém-se (3pts) mas perde valor. Só é atribuída ao jogador que faz mesmo o último passe para golo.

A clean-sheet também sofre alterações mas só para os guarda-redes, com 6pts por cada cleanie. Isto adiciona valor aos keepers, obrigando talvez a um gasto maior em pelo menos um dos dois goleiros do plantel.

Agora as grandes novidades deste jogo:

   - 1 remate bloqueado = 2pts (todas as posições)
   - 1 bola recuperada = 1pt (todas as posições)

Um remate bloqueado é um remate bloqueado e não há outra forma de o medir. Agora para a FIFA uma bola recuperada consiste na soma de recuperar a posse de bola através de tackles e alívios efectivos, isto é, completos. Defesas centrais e médios defensivos deverão ser os mais beneficiados, mais em equipas que joguem de forma mais compacta e com pouca largura.

   - 2 balls delivered into penalty área (cross) = 1pt (todas as posições)

Para esta estatística contam "entrar" com a bola, mantendo a posse, na área contrária - making run into the box, player passing, player receiving, cross no original. Defesas laterais e extremos com capacidade penetrante serão os mais beneficiados, nomeadamente em equipas que usam largura no ataque. 

Outra novidade é a penalização por faltas efectuadas. Por cada 3 faltas efectuadas o jogador em causa perde 1pt. Cuidado com os Garys Medels desta Copa.

O mesmo acontece por cada penalty efectuado (-1pt). UEFA rules. Muitos de vocês já estão habituados.

Finalizo com um bónus dedicado aos que demonstram mais accuracy. Goleiros com uma save rate superior a 80% recebem 1pt. Presume-se que seja calculada através dos remates on-target. Algo dúbia a atribuição deste bónus. Imaginemos que um keeper sofre um golo mas defende 3 de 4 shots-on-target (75%), não recebe bónus. Outro keeper não sofre golos mas só defende 1 de 1 shot-on-target (100%), recebe o bónus.

Defesas e médios a registarem uma pass completion superior a 80% também recebem 1pt. Avançados com uma attempt rate superior a 80% ganham 1pt. Aplicamos o mesmo raciocínio dos guarda-redes. Ou seja, neste caso, preferimos Messis a Ronaldos.

 

I am Loving It.

Vou só ali ao Mac...