O Fantasista
20
Set

2013

Gameweek 5

Por O Fantasista

 

O último fim de semana não trouxe surpresas, e como esperado voltámos a ter poucas bolas a beijar o interior das redes. Vinte golos em dez jogos deixam a média exactamente onde estava, 1.9g/jg. Nesta mesma altura, na época passada, a média contrastava com uns fantásticos 2.8g/jg.

Alertei para uma mudança nas trends e parece mesmo que ela veio para ficar, pois repetimos o registo de sete clean sheets (cs) passando agora para 32cs em 40 jogos no total. Terão os Britânicos finalmente percebido que ao não conceder estarão sempre mais perto da vitória? Ou estará a liga a “sofrer” por contemplar nove treinadores estrangeiros (não britânicos)? Questões para analisar em  post(a)s futuros.

 

Com isto a decisão de apresentar uma linha de quatro defesas no sector recuado provou ser a mais acertada, pois no miolo a coisa continua a falhar à grande. Eu sei, não selecionar Ben Arfa frente ao Villa foi um erro crasso, mas a verdade é que Walcott poderia ter obtido facilmente um hat-trick na deslocação ao castelo de Paolo Di Canio (que inacreditavelmente só agora conseguiu ser expulso – momento descrito aqui nas palavras do próprio).

Os destaques foram mais uma vez os Defenders e os Forwards. Os centrais Lovren, Vidić e Verthongen conseguiram a sua cs, sendo que o belga ainda juntou 2 pontos de bónus (pb) ao seu pecúlio. No ataque o trio escolhido fez o pleno, e Van Persie, Benteke com 2pb e Sturridge com 1pb, retornaram 1 golo cada. A estreia de Özil também poderia ter corrido melhor - os falhanços do Theo resultaram de assistências suas - mesmo assim trouxe 1a e 1pb totalizando 6 pts. 

No entanto o jogador mais pontuado da semana foi mesmo um Midfielder, Sigurðsson com 16pts. O médio islandês estaria destinado a um lugar no bench, mas uma lesão do seu colega belga Chadli abriu as portas da titularidade ao ex-Swansea. Dois golos e os respectivos 3pb surpreenderam o mundo da EPL, prevendo-se um aumento no seu stock fantasista (Villas já confirmou que o ala esquerdo belga estará de fora na deslocação a Gales). 

Sem surpresa, após a prestação alcançada anteriormente, optei pela manutenção da tática. O 4-3-3 arranca então com os seguintes protagonistas:

 

Goalkeeper

Entre os postes voltamos a confiar em Mignolet (£5.7m). O adversário vem de Southampton - sim, mesmo de onde saiu o Titanic - equipa que só marcou por duas vezes no campeonato, mas que não conseguiu furar as redes dos oponentes nas últimas duas partidas. O belga mesmo sofrendo 2 golos em Gales, conseguiu juntar-lhe 2pts através de 6 saves.

 

Defenders

Nos meus planos continua Vertonghen (£7.0m) após 3cs em 4jgs. A deslocação a Cardiff não se avizinha fácil, mas após apenas 50min de Europa League (EL), estará certamente apto para voltar a fechar os caminhos da baliza de Lloris.

Outro que também foi poupado a meio da semana, desta vez para a Champions League (UCL), Terry (£6.0m). O Chelsea não se apresenta no seu melhor e surgirá em Stamford Bridge (que saudades do Miguel Prates!! Agora tenho que gramar com o Valdemar Duarte que nem os nomes dos intervenientes sabe...) na ressaca de quatro jogos sem vencer em todas as competições, dois empates e duas derrotas. No entanto o skipper John Terry será o homem indicado para liderar o team do Zé em direção à vitória no derby londrino frente ao Fulham marcado para o tea time de sábado. Ruiz está fora, e Bent e Berbatov em duvida, ideal para as perspectivas de uma terceira cs de Terry em cinco partidas.

O Newcastle absorveu os quatro secos sofridos na derrota da jornada inaugural e aparece agora com uma série de 3 jogos sem perder, com 2 vitórias nos derradeiros encontros. Mbiwa (£4.5m) conquistou 2cs e 2pb nos jogos caseiros, preparando-se para receber um Hull City que ainda só registou blanks em ambas as deslocações que efectuou. O seu colega Taylor está lesionado, fazendo com que este seja o defender mais barato disponível para actuar no onze titular de Alan Pardew.

A finalizar este quarteto temos um centralão goleador, o adorado McAuley (£5.4m). Três golos em 3 jogos, contando com 2 ao serviço da sua selecção, a Irlanda do Norte, demonstram uma forma invejável. O Sunderland apresenta-se nas West Midlands sofrendo até há data 3g provenientes de set-pieces, precisamente o forte deste defesa do West Brom. Mais, só frente ao Arsenal é que Di Canio e os seus ragazzi não sofreram um golo de canto ou livre lateral. Promissor!

 

Midfielders

Apesar de ter ficado de fora das minhas escolhas no passado, Ben Arfa (£7.3m) é um nome que não pode continuar a ser ignorado. Alan Pardew revolucionou (mais uma vez!) o futebol do Newcastle ao conceder a titularidade a outro francês, Rémy, mas foi o seu colega da ala contrária quem mais beneficiou. A mudança para o 4-3-3 já proporcionou 2g, 1a e 5pb ao astro criado em Marselha. Pardew como que lhe retirou as rédeas e as suas últimas duas exibições foram sublimes, participando em todos os golos marcados pelo seu team. O Hull em 2jgs no papel de visitante sofreu uma média de 2g/jg (@CHE e @MCI).

Segue-se Walcott (£9.5m) que continua a merecer a nossa confiança, especialmente após ter finalmente encontrado o caminho do golo (1-0 na UCL, @Marselha). Em 4jgs somente 2a, mas a verdade é que frente ao Sunderland a coisa poderia ter sido épica. O seu novo melhor amigo, Özil, é a peça que faltava no puzzle. Três through balls daquelas do turco, e três falhanços na cara do golo por parte do inglês. Se Mark Hughes insistir numa high line no Emirates, Theo pode ser o maior beneficiário.

O trio de Midfielders completa-se com uma das estrelas da época anterior, Michu (£8.9m). Após duas jornadas iniciais com adversários complicados eis que finalmente começa a demonstrar alguma forma, 1g, 1a e 1pb nos últimos 2jgs contra defensivas respeitáveis (WBA e Liverpool). Ontem, 1g e 1a na 1ª Jornada da UEL, ajudando a completar uma vitória sensacional em Valência na estreia (a sério) do Swansea na Europa. O adversário domingueiro é o Crystal Palace, clube que sofreu golos nos 4 jogos já realizados.

 

Forwards

O ataque é composto pelo trio de melhores marcadores da EPL, Benteke (£9.3m), Giroud (£9.0m) e Sturridge (£9.3m). Todos contam com uma fantástica média de 1g/jg e defrontam adversários acessíveis, se é que tal coisa existe na melhor liga europeia. 

Uma menção especial para o francês Giroud que, após ter quebrado o seu duck ao marcar um golo fora de Londres, se estreia nas minhas escolhas semanais... Até hoje pensava que estava a concluir as suas chances a uma taxa absolutamente incrível, agora, com a chegada de Özil, sou obrigado a repensar. Neste último jogo já provou que beneficiou da anormal visão de jogo do turco (será dos seus olhos?!), e com 1g, 1a e 2pb manteve a consistência e alcançou a liderança a nível pontual da Fantasy EPL com 36 pts. 

Benteke e Sturridge são um caso sério e neste ano civil contam com 18g em 21jg e 14g em 18jg respectivamente, demonstrando uma forma divinal. Irresistíveis neste momento!

 

Bench

Com 3cs e 1pb em 4 jogos Collins (£4.6m) é tudo o que pretendemos de um defesa treinado por Big Sam. A recepção a um Everton que só marcou 1 golo nos últimos 3 jogos parece ser a combo ideal. Ramsey (£5.9m), uma das figuras da última jornada com 2g na vitória do Arsenal, sendo que a meio da semana voltou a marcar, frente ao Marselha na UCL, e é sem surpresas o jogador que lidera as tranfers in, com mais de 330.000 treinadores a morderem o isco (mais de 10% do universo fantasista). Hooper (£6.3m) regressa após lesão e Hughton pode respirar de alivio, os seus outros atacantes, Elamder e Van Wolfswinkel (nunca pensei escrever este nome aqui), registaram blanks nos últimos 3 jogos, e a oportunidade pode surgir frente ao Aston Villa, um adversário que sofreu golos nos últimos 26 confrontos para a EPL.

 

Posta mágica

Já com a necessária work permit para se estrear ao serviço do West Brom, e logo frente à sua ex-equipa, Sessègnon (£6.7m) é o escolhido esta semana. O Sunderland é o último classificado com 8 golos sofridos em 4 jogos, e no que diz respeito a confrontos directos, não vence há 7 jogos frente ao WBA, perdendo os 2 do ano passado, com golos em ambos os jogos do homem do Benin – curiosidade máxima. O WBA demorou 360min para marcar o 1º golo na liga, mas agora que quebrou o enguiço e já podendo contar com a criatividade de Sessègnon, a paisagem está prestes a mudar. Após o desentendimento com Di Canio, o africano vai subir ao relvado com um sentimento de vingança. A não perder este (re)encontro.