O cantinho da Mágica
25
Fev

2014

Vamos ao Circo

Por Bernardo Sousa

 

Falar do jogo de 6ª feira passada é falar daquilo que tem sido os últimos 2 meses da Briosa: maior capacidade defensiva aliada a maior organização na zona do meio campo que naturalmente resulta numa grande solidez só não acompanhada de maior eficiência na finalização (pelo menos no que a números toca), porque fomos capazes de criar lances de golo, mas que por este ou aquele motivo não têm sido validados.

 

O senhor Luís Castainça tem de definir de uma vez por todas (tal como o senhor Cristóvão Moniz) o que querem ser quando forem grandes... são erros demasiado gritantes para uma pessoa ficar sem pensar que os erros que cometem são acidentais. Por experiência própria, sei que não é fácil arbitrar jogos, a decisão tem sempre de ser tomada no momento, mas há erros que nem o comum mortal cometeria. Estes senhores são semi-profissionais, não andam ali a brincar... tiveram de subir escalões por suposto mérito e competência, e nada disso se vê. Se não reconhecem a sua incompetência para arbitrar, alguém que o faça por eles, e nada disso tem acontecido.

Ainda este fim de semana vi o senhor Duarte Gomes a arbitrar um jogo, isto depois das documentadas asneiras de Janeiro... não haverá limites para a vergonha? Um homem quando erra, tem de ser penalizado por isso, senão não aprende... é assim que se educa uma criança, assim devia ser quando se está a tentar ser o melhor que se pode ser na profissão que se escolheu seguir.

 

2ª Jornada - Académica-Sporting

Segundo golo do Sporting, e que colocou o jogo fora de alcance, resulta de um fora-de-jogo do marcador do golo.

5ª Jornada - Nacional-Académica

Golo mal anulado à Académica que dava o empate.

3ª Eliminatória da Taça de Portugal - Belenenses-Académica

Penalty que dá o 2-2 ao Belenenses é, no mínimo, bastante duvidoso, daqueles penalties que se fossem sempre marcados, haviam 100 por jogo.

11ª Jornada - Académica-Porto

Penalty nos últimos minutos marcado contra a Académica. Inexistente.

12ª Jornada - Vitória de Setúbal-Académica

Halliche é expulso nos últimos minutos por empurrar o jogador adversário. Talvez um pouco forçado, seria lance para amarelo.

5ª Eliminatória da Taça de Portugal - Beira-Mar-Académica

Falta que dá o 1º penalty ao Beira-Mar é inexistente.

16ª Jornada - Académica-Gil Vicente

Penalty escandaloso não assinalado a favor da Briosa e outro menos escandaloso por assinalar por mão na bola.

18ª Jornada - Académica-Estoril

Golo muito mal anulado à Briosa por suposto fora-de-jogo. Dava o empate na altura.

20ª Jornada - Académica-Nacional

Golo ridiculamente anulado à Briosa que podia dar a vitória. Um dos "erros do ano" de certeza.

 

Assim brevemente, é este o historial de prejuízos que a Briosa tem para com os árbitros até à data. Não esqueço o penalty de Halliche no jogo contra o Sporting, seria hipócrita da minha parte, mas a balança está tudo menos equilibrada esta época.

Ao ver os resumos de todos os jogos da Briosa esta época, salta à vista a diferença abismal em termos de qualidade do trabalho defensivo da equipa do início do campeonato até agora. Se calhar terá a ver com a diferença dos artistas postos em campo: passámos de uma defesa composta por João Dias, Aníbal Capela, Reiner Ferreira e outros estarolas para um quarteto mais ou menos fixo em que Halliche (em muito melhor forma) e João Real, bem como o super Djavan e Marcelo nas alas oferecem todas umas garantias que antes não eram oferecidas e isso tem vindo a ser notório ao longo da temporada.

 

O que se passou na sexta feira à noite no Cidade de Coimbra é demasiado lamentável para ser esquecido, são dois jogos seguidos em que a Briosa poderia ter conquistado pontos suficientes para já ter a manutenção praticamente garantida, e no entanto ficamos com 24 pontos e sem estar a salvo de qualquer fenómeno estranho que possa vir a passar-se...

Só dou graças pelo facto de o Sérgio estar castigado naquele jogo em específico porque senão nem queria imaginar o que ele poderia ter feito, e o castigo adjacente às suas acções (sim, o homem é emocional, mas também ninguém gosta que gozem connosco de uma forma tão óbvia).

Quando era criança ia ao circo, mas nunca gostei dos palhaços, sempre os achei demasiado lineares na busca do riso fácil, faziam parvoíces, procuravam agradar o público sem fazer algo que não estivesse ao alcance do comum mortal. Na sexta-feira à noite senti isso, foram demasiado lineares para não ser propositado, só que não procuraram fazer rir ninguém…

 

 

Falando do restante do jogo, a Briosa apresentou os predicados habituais: consistência defensiva, capacidade de luta e um futebol directo em busca dos dois avançados postos em campo: Rafael “The Brick” Lopes e Moussa Gueye (faz lembrar o Maazou do Vitória de Guimarães, alto e esguio, uma verdadeira dor de cabeça para os centrais), com mais uma exibição bem conseguida de Salvador Agra, rápido e objectivo, que tem sido uma clara mais-valia face ao sub-rendimento de Marinho nesta fase da época.

Fizemos o suficiente para vencer o jogo, face também à atitude negativa da equipa do Nacional, orientada pelo Manuel “não treino em sítios em que não haja bacalhau” Machado, que fez todos os possíveis para sair com um pontinho de Coimbra.

Fomos em grande parte do jogo mais fortes, merecíamos a vitória e tanto jeito tinha ela dado... não nos deixaram vencer, mas isso não me retira a sensação de confiança que os 30 pontos vão aparecer mais tarde ou mais cedo. 

 

Em Arouca na próxima segunda-feira à noite mais uma batalha rumo ao afamado objectivo, com o Sérgio de volta, teremos grande dificuldade em pontuar, mas espero que com a capacidade de superação que a equipa tem manifestado, que algo de positivo possa sair de mais um desafio.

Uma boa semana a todos...