O cantinho da Mágica
16
Dez

2013

Rir para não chorar

Por Bernardo Sousa

 

Mais um jogo na TV, mais 90 minutos de um sofrimento que já não o é... desde o princípio do campeonato que já se percebeu o que esta Académica tem para oferecer em termos futebolísticos, uma enorme mão cheia de nada, com certamente muita reza antes dos jogos e acima de tudo uma falta de ambição de acordo com a (falta) de qualidade da equipa.

Olho para a tabela do campeonato e julgo estar a sonhar, como é possível termos já 15 pontos depois de (mais) uma demonstração de falta de arrojo, de nível futebolístico?

 

Começando pelo princípio (salve o pleonasmo), tudo se resume a mais uma sessão de masoquismo puro, ou seja, o jogo contra o Marítimo em mais uma sexta-feira à noite com o Calhabé às moscas, como já é hábito. A primeira parte foi, sem estar a cometer nenhum tempo de exagero de bradar aos céus, acantonados no nosso meio campo sem conseguir ligar passes e sem ter o mínimo de capacidade de explosão, salve as subidas do lateral esquerdo (grande Djavan!) ou de ocasionais bolas paradas (única coisa que a equipa deve treinar durante a semana).

A segunda parte, roendo unhas de forma impulsiva, vendo a bola percorrer a nossa área de forma teimosa, quase magnética até o inevitável golo do empate (mais do que justo) surgir quando os jogadores do Marítimo se calhar já pensavam que as balizas do Cidade de Coimbra precisavam de uma purga.

 

Tendo no plantel 3 pontas-de-lança é incrível, como se de um Barcelona se tratasse, jogarmos com um extremo a ponta de lança, e não me venham com tangas, não é o Sérgio que é um visionário! É mesmo pelo facto de entre os três estarolas que fazem da vida marcar golos temos cerca de... deixa-me rever as contas, portanto... 0 golos marcados neste campeonato!

Mau demais parece, mas a realidade é nua e crua, temos o pior ataque do campeonato e se não tivéssemos o melhor guarda redes da Liga até ao momento (avé enorme Ricardo!) e certamente que dos 15 pontos que temos, mais de metade deles teriam voado mais ou menos que por magia. É urgente então pensar: porque raio jogamos tão mal???

Porque é que só num jogo esta época (Olhanense, fora) fomos melhores que o adversário?? Sinto que a nossa incompetência reside em acreditar que a incompetência dos outros será sempre maior do que a nossa, e lamentavelmente até ver temos razão... plantéis como o do Paços e do Olhanense foram claramente construídos em noites em que o whisky foi a entrada, o prato principal e a sobremesa, isto para não falar de o Sérgio Conceição ao lado do Costinha e do Abel Xavier parecer um Mourinho rodeado de Azenhas.

Neste cenário ter uma equipa que vive das genialidades de um lateral que veio do Regional brasileiro ou dos golos de um médio defensivo parece coisa aceitável, como que fosse inevitável a nossa mediocridade. Ora, não nos contentamos com isso, porque a sorte faz parte do jogo mas não é o jogo, e quando começarmos a achar que de repente estamos a perder porque não temos sorte, estamos a ignorar tudo o (muito) que está mal nesta equipa. 

 

Enfim, com 15 pontos no campeonato me despeço, mas com uma sensação de andar a ganhar a lotaria há semanas a fio...