Área Técnica
27
Ago

2013

O futebol é impróprio para cardíacos?

Por Alberto Carvalho

 

O site coachworldranking.com emite semanalmente um ranking com a classificação dos treinadores de futebol. No top ten, um país domina com três técnicos: Portugal!

Nesse mesmo país, a formação de técnicos nos níveis mais elevados (III & IV) esteve suspensa, tendo sido retomada no Verão, embora envolta em polémica pelo de facto de alguns técnicos certificados com o nível II, mas a exercer funções nas divisões superiores, terem acedido ao último nível de formação, sem que tenham obtido certificação no nível antecedente.

No último fim de semana defrontaram-se as equipas de Abel Xavier e de Costinha, dois técnicos sem certificação para treinar na Liga. No rescaldo da sua primeira vitória, o técnico do Olhanense, afirmou: “(...) só podemos ser conhecidos ou reconhecidos por aquilo que fazemos (...)”, naquilo que pode ser entendido como uma resposta a quem critica a sua ausência de certificação para o exercício do cargo.

É óbvio que a certificação e a formação não são garante de competência. E a irrefutabilidade desta está directamente relacionada com os resultados, positivos ou negativos. Mas neste âmbito convém não confundir o cardíaco com o cardiologista.

 

Um indivíduo que desde a sua infância sofre de problemas cardíacos e que por essa razão passe grande parte da sua vida em ambiente médico ou hospitalar, chegado a uma certa idade não fica apto para exercer medicina, embora pela experiência vivida e vivenciada, fique numa posição privilegiada para o exercício dessa profissão, caso seja essa a sua opção sob o ponto de vista da formação profissional.

Nesse tal top ten, acabamos por ter um cardiologista (Villas-Boas), um cardíaco que se formou em Cardiologia (Jesus) e um familiar de  um cardíaco que se doutorou em Cardiologia (Mourinho). Uns com mais sucesso que outros.

 

Todos reconhecidos pela sua competência.

 

Alberto Carvalho é um Treinador de Futebol que colabora regularmente com o 11para11. Escreve desde 2007 no "Bola Mesmo Redonda" e debruça-se sobre todas as vertentes do Beautiful Game.