Área Técnica
11
Set

2013

Jugoslavija

Por Alberto Carvalho

Quando se começam a definir os primeiros apurados para o Mundial de 2014 a realizar no Brasil, analisando os grupos de apuramento da zona Europeia, não deixa de ser curioso o facto de três das antigas repúblicas da ex-Jugoslávia estarem em posição de disputarem o apuramento: Croácia - 2º no grupo A; Bósnia - 1º no grupo G; Montenegro - 2º no grupo H.

Em 1990, no Mundial disputado na Itália, a Jugoslávia comandada por Ivic Osim, um Bósnio, foi eliminada nos quartos-de-final pela Argentina de Maradona após penáltis, numa selecção constituída por jogadores de grande categoria, onde pontificava pelo menos um digno representante de cada uma das suas repúblicas:

 

 

No ano seguinte, em 1991, eclode a guerra civil jugoslava, que leva ao desmembramento do país e de uma das selecções mais promissoras a nível mundial. Como resultado deste conflito constituíram-se novos países: Croácia, Eslovênia, Bósnia e Herzegovina e a República da Macedónia numa primeira instância. E mais tarde Montenegro, a Sérvia e por fim o Kosovo.

Num exercício meramente especulativo, não deixaria de ser interessante descobrir o que poderia alcançar uma selecção constituída por jogadores da antiga República Socialista Federativa da Jugoslávia. Fica a convocatória. O onze fica ao critério de cada um!

 

 

Alberto Carvalho é um Treinador de Futebol que colabora regularmente com o 11para11. Escreve desde 2007 no "Bola Mesmo Redonda" e debruça-se sobre todas as vertentes do Beautiful Game.