A Selecção
11
Nov

2014

Parabéns?

Por 11para11

 

Hoje cumpre-se o terceiro aniversário do 11para11 e os Parabéns fazem parte da ordem de trabalhos.

Mas farão mesmo sentido neste ponto?

 

O 11para11 nasceu de um desejo, de fornecer aos amantes do Desporto Rei um espaço onde se concentrassem opinion-makers de todas as origens, a escrever sobre todos os tópicos, mas sempre tendo em conta duas vertentes muitas vezes esquecidas por quem escreve sobre futebol: a paixão do adepto que poderia ser jogador, treinador e presidente em simultâneo bem como a verve da escrita, tentando sempre adicionar algo ao conteúdo desportivo através da criatividade literária, ao contrário do embrutecimento cada vez mais notório da nossa Comunicação Social desportiva.

A génese foi só por si muito atribulada, portuguesmente em cima do joelho, e sem as condições tecnológicas necessárias, mas não se poderia perder a oportunidade de aproveitar a mítica data 11/11/11 para o lançamento. O ano seguinte foi passado no escritório, mas a reformular toda a plataforma, a aprimorá-la gráfica e funcionalmente, garantir que estavam reunidas todas as condições para uma experiência agradável para o utilizador. Voltámos em Dezembro de 2012, cheios de vontade e com uma equipa que crescia regularmente.

Desde aí até hoje foram lançados 336 artigos, ao ritmo de um texto novo a cada 2 dias. Ainda a meio deste ano, a primeira mudança profunda com a saída do Editor original (que se mudou de armas e bagagens para um projecto revolucionário a ser lançado em breve - www.realfevr.pt - e a quem desejamos, naturalmente, o maior insucesso possível). Desde aí, nada foi o mesmo.

O novo Editor, já com experiência num jornal de grande tiragem, veio a revelar-se um flop maior que um Balboa e neste momento o seu paradeiro é desconhecido. Toda a delegação Benfiquista continua de luto pelos penalties de Turim. O nosso escriba residente do Sporting tirou uma sabática para escrever um livro, mas que não é sobre futebol e obrigou à sua substituição. Academistas e Maritimistas deixaram de ter notícias tão regulares, fruto das novas obrigações profissionais de quem criou e mantém o espaço destes clubes. Bom para eles, mau para o 11para11.

Como um mal nunca vem só, o Fantasista, o nosso escritor mais assíduo, sofreu um acidente de saúde que poderia ter tido consequências mais graves mas que felizmente já permite ao nosso especialista em Ligas de Fantasia intentar um Ensaio sobre o sucedido, já com 2 partes aqui no 11para11 e com o final à vista, com direito a resumo na Antena 3.

 

Agora que já se passaram mais de 1000 dias deste o início deste projecto, já podemos olhar para trás e ver claramente o que foi feito de bom, o que teríamos mudado ligeiramente e o que faríamos de forma completamente diferente.

A nível clubístico, conseguimos concentrarmo-nos quase sempre no Jogo, aquele jogado entre quatro linhas, tentando trazer sempre um pouco de Razão à Emoção, mantendo a coerência necessária a quem submete regularmente a sua opinião para avaliação do Público.

Além do já mencionado Fantasista - #326 a nível Mundial entre os milhões que jogam a Fantasy da EPL, uma tarefa nada fácil para quem anuncia antecipadamente o que vai fazer - tivemos também um Tubarão a lançar apostas todas as semanas e a chegar ao final da época no "verde", bem como os três candidatos que acharam que faziam melhor.

No total, lançámos para o éter 14 novos escritores, ansiosos por escrever e discutir Futebol, nas mais variadas vertentes. Mas a principal dificuldade do nosso crescimento esteve sempre relacionada com o recrutamento, e a nossa capacidade para encontrar pessoas que, como estes 14, estivessem dispostas a opinar publicamente, com uma frequência assinalável sobre o assunto que passam mais tempo a ver, a estudar, a discutir e a pensar: o Futebol.

Ao contrário do que todos pensávamos, poucos são os que fazem questão de dar o seu contributo ao Beautiful Game desta forma e menos ainda aqueles que gostam de imprimir o seu cunho artístico, usando o Português como a principal arma do seu discurso. E isso sim, foi a principal supresa no nosso caminho ao longo destes 3 anos.

 

Os Aniversários fazem-se muito disto: da saudade do Passado, da recolecção festiva dos momentos altos, das oportunidades perdidas ao longo do caminho e do que nos convencemos que vamos fazer no Futuro, próximo ou distante.

Embora pareça meio inerte, porque o está para quem nos segue por fora, por dentro o 11para11 está cada vez mais vivo.

E por isso, hoje os Parabéns fazem parte da ordem de trabalhos. Contidos, com alguma reserva, mas cheios de esperança. Como sempre.

 

Obrigado a todos,
A redacção do 11para11