A Selecção
29
Jan

2015

Adepto, quem és tu?

Por 11para11

 

“O futebol em Portugal resume-se aos denominados três grandes” é daquelas frases tão batidas e óbvias que qualquer aspirante a comentador sabe que a deve usar em momentos certeiros para formar a indispensável aura de pessoa “isenta”.

Quanto aos três, a rivalidade é intensa, os ódios antigos, mas que retrato podemos fazer dos adeptos de Benfica, Porto e Sporting? (a ordem obedece apenas ao critério alfabético, por isso qualquer protesto é favor endereçarem aos gregos que o inventaram!)

O 11para11 procura dar uma ajuda….

 

Benfica

O benfiquista, lampião para os antagonistas, é adepto do maior clube do mundo. Isso nem se discute, basta ver as entrevistas de qualquer novo reforço que fica sempre espantado com a grandeza do clube. O seu “glorioso” joga na Catedral, teve o maior jogador português de sempre e para todo o sempre, tem mais títulos e os que não tem não eram oficiais (olá Taça Toyota).

O benfiquista lê A Bola, o único jornal isento, desconfia do Record e sabe de fonte segura que O Jogo é impresso na Torre das Antas; trata com  desprezo e indiferença o rival lisboeta, mas guarda o ódio para o FC Porto, responsável pelos 30 anos mais corruptos do futebol português (exceptuando os anos de títulos seus, naturalmente).

 

Porto

O portista não percebe o porquê de tanto alarido cada vez que em Roma se muda de Papa, pois o verdadeiro vive na Invicta; adora enumerar as conquistas das últimas três décadas pois são as únicas sem o dedo opressor de Salazar que tudo fazia para que o Benfica ganhasse; não gosta nada do Sporting e odeia de morte os “mouros”, quer tenha nascido no S.João ou no Hospital da Luz.

Nunca ouviu as escutas pois, além de ilegais, isso é tudo uma campanha da Bola, do Record, do CM, da SIC, da TVI, da BBC e da Al-Jazeera. O apelidado tripeiro já ganhou tudo mas não trocava aquela do Kelvin por mais uma Champions, luta sempre contra tudo e contra todos e hoje já está borrado de medo do dia em que o seu Presidente deixar de o ser.

 

Sporting

O sportinguista tem um lamento. Não, não é a arbitragem, a influência dos fundos, o sucesso do Benfica ou as patifarias do Porto. O sportinguista lamenta o dia em que o futebol e não o atletismo, o chinquilho ou a pesca desportiva se tornou o “desporto rei” relegando-o para um quase eterno estado depressivo.

Apesar disso, o adepto dos verdes-e-brancos sabe que o que realmente importa é formar Bolas de Ouro e ter a base da selecção, comportar-se de forma aristocrata e fazer luto de vez em quando, limpar tudo no futsal e de quatro em quatro anos sempre que um português faz um brilharete olímpico poder dizer “este é atleta do Sporting”.

 

A caricatura é esta, mas onde está a maioria silenciosa? O adepto que quer mais do que o ex-futebolista a falar da verdadeira mística ou o “paineleiro” mediático que nunca vê um penálti bem assinalado contra as suas cores.

Nós por cá tentamos dar o nosso pequeno contributo. Falando de futebol pelo jogo e sobre o jogo, não esquecendo a “picardia” mas evitando sempre cair no tom próprio de uma caixa de comentários de um qualquer jornal desportivo.